Dom Pedrito – Rua em péssima condição impossibilita crianças irem à escola no Humaitá

    53ee4aec.jpg

    Claudia Moraes mora com suas três filhas no loteamento Humaitá, situado na Rua Fabio Jardim, Travessa 3. A moradora relata que logo após a Companhia Rio-Grandense de Saneamento (Corsan) patrolar sua via, ficou impossível transitar em dias de chuva, com isso, suas filhas tiveram um número excessivo de faltas na Escola Municipal Alcides Maia, local em que cursam o ensino fundamental. 

     

    Nossa reportagem sentiu na pele as dificuldades para realizar esta pauta com Claudia, pois a quantidade de barro era muito grande e há poucos metros, existe um esgoto a céu aberto que segundo a moradora, também foi feito pelos profissionais da Corsan. 

     

    "Já fomos a Prefeitura reclamar desta situação, mas ninguém resolveu. Quando chove, minhas filhas perdem muitas aulas O vizinho que mora mais para o fundo, tem que sair com o carro e a moto pelo pátio do vizinho, pois por essa rua não conseguimos nem caminhar quando chove", disse Claudia. Clarice Pina, professora de uma das filhas da entrevistada, na Escola Alcides Maia e a educadora revelou que a aluna falta bastante à aula em dias de chuva e que conhece a situação da rua em que a família reside. 

     

    O secretário de obras de Dom Pedrito, Marco Antônio Piriz, recebeu nossa reportagem para falar sobre a situação do loteamento Humaitá. "A situação do Humaitá é complicada, pois se trata de um loteamento irregular. O caso está no Ministério Público há mais de oito anos. O que eu posso fazer é patrolar aquela rua e colocar cascalho, mas isso somente quando passar essa época chuvosa", explicou o secretário.

     

    Reportagem: Elliézer Garcez
    Jornalista responsável: Marcelo Brum – MTB/RS 84.490 – FENAJ 8202 
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br