Comitiva pedritense vai a Brasília tratar sobre canais das barragens e futura retomada dos projetos

    (Fotos: divulgação)

    A obra da barragem do Taquarembó virou uma novela. No último capítulo, um dos mais dramáticos, talvez, o Ministério da Integração Nacional retirou os recursos que seriam utilizados, então, para a construção dos canais das barragens. Assim, as obras ficaram praticamente “travadas”. Durante esta semana, o prefeito Mário Augusto de Freire Gonçalves, acompanhado de uma comitiva, esteve em Brasília, reunido com o ministro da Integração, Helder Barbalho, para tratar sobre o assunto.

    A reunião foi intermediada pelo deputado Jerônimo Goergen (PP). O ministro afirmou que as obras devem retornar ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e que a exclusão – momentânea – trata-se de um “procedimento administrativo” para atender a barragem do Jucazinho, em Pernambuco, que ameaçava romper-se devido ao excesso de chuvas.

    De acordo com Goergen, as obras das barragens do Taquarembó e Jaguari são os maiores empreendimentos do gênero no Rio Grande do Sul. Ele aproveitou a ocasião para convidar o ministro Barbalho a visitar as obras e acompanhar os projetos.

    Acompanhando Gonçalves, estava o secretário de Governo Marco Antônio Rodrigues e o presidente do Conselho de Administração da Associação dos Usuários da Água da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria (Ausm), José Antônio Peterle.